quarta-feira, 17 de julho de 2013

ESTATUTO DA MULHER

ESTATUTO DA MULHER (anônimo)


Art. I Fica decretado
                que a partir de agora
                vale a utopia.
                Valem os sonhos
                os possíveis e os impossíveis.
                E que eles se façam verdade
                e se desdobrem em luz
                no escuro de nossas incertezas.
Art. II Fica constituído,
                por decisão soberana,
                o Poder Feminino.
                Porque feminina é a Lei
                e feminina é a Justiça.
                A Liberdade é feminina;
                A Verdade, a Paz, a Igualdade,
                a luta, a conquista, a vitória;
               a paciência, a tolerância, a paixão;
               e feminina é a Esperança
               que nos permite confiar no futuro.
Art.III A partir de agora…
               Carolinas deixarão as janelas
               por onde o tempo passou …e elas não viram;
               e se atirarão à vida,
              fazendo sua própria história.
              Não mais “mulheres de Atenas
              que fustigadas não choram,
              se ajoelham, pedem, imploram
              mais duras penas, serenas.”
              A partir de agora, seremos todas Marias,
              de raça, de força, de gana;
              Marias com mania de terem fé na vida.
              Marias de nosso tempo,
              Marias de nossos dias.
Art. IV Fica decretado
              que, a partir de hoje,
             está banida dos dicionários
             a palavra violência
             pela inutilidade de seu uso.
             Os gestos serão suaves
            mesmo nas decisões mais fortes,
            porque a palavra será a grande espada
            na defesa dos direitos e da liberdade.
Art. V Nossas fichas registrarão:
            Nome: Joana… ou Maria;
            Idade: Não importa…
           Sonhos: …
           Negros ou brancos,
           homem ou mulher,
           viveremos os mesmos direitos,
          sonharemos os mesmos sonhos. . .
Art. VI Fica permitido o amor, sempre;
          e obrigatória a felicidade.
          As manhãs serão azuis.
          Não haverá filhos da miséria ou do medo
             Serão todos frutos do amor
             Porque a mulher só se deitará com o homem que ama.
Art. VII Por decreto irrevogável
             fica estabelecido
             o reinado permanente da justiça e da claridade.
             Haverá trabalho para todas
            e igualdade de salário;
            a saúde será um bem
            que passará de mãe para filho.
            A lei será cumprida e os direitos respeitados.
            À porta de cada escola brilhará um arco-íris
            envolvendo em cores e luz nossas crianças.
Art.VIII Fica proibido
            O desemprego, a discriminação.
            Fica proibida a velhice
            Porque seremos jovens de setenta, oitenta e cem anos.
           Somente a paciência, a temperança e a sabedoria
           Marcarão o tempo em nossas vidas.
Art. IX “Olharemos os gerânios nas janelas
           E contemplaremos as flores nos campos.
           Haverá sorriso nos rostos das crianças.”
Art. X Governos governarão!
           E ficará instituído, desde já, o Ministério da Vida
           Onde a dignidade substituirá o lucro
           E o cidadão será parte essencial de seu plano.
Art. XI E agora é definitivo…
          Mulheres,
          Tomem seus lugares,
          Respirem fundo,
          E alcem vôo na direção de seus sonhos!
          Revoguem-se as disposições em contrário!