sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Prêmio mulheres cientistas

Porque as mulheres também ciência e muito bem, desde Marie Currie e sua experiências com o Urânio, que culminaram por matá-la com câncer.

Assim, recebi a notícia pelo Boletim da FAPESP e depois de longa ausência, volto a publicar no Blog e volto para polemizar mais, publicando aqui a reportagem das ganhadoras de prêmio de uma bolsa de pesquisa, no valor de 20 mil reais.... 
Vejam vcs, os homens sempre foram donos absolutos do espaço da ciência, fosse a Física, Química, Biologia, Medicina e mesmo em plena segunda década do século XXI, para sabermos das mulheres nas Ciências, foi estipulado este prêmio anual "Mulheres na Ciência", para que tenha visibilidade o trabalho delas e cá pra nós, pra lá de merecidos os prêmios, confiram na matéria abaixo:

Programa “Para Mulheres na Ciência” anuncia ganhadoras

FONTE: http://agencia.fapesp.br/19585


12/08/2014
Agência FAPESP – O programa Para Mulheres na Ciência, uma iniciativa da empresa L’Oréal Brasil em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC), anunciou na semana passada o nome das sete cientistas vencedoras de sua nona edição. Elas são de São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Goiás e Ceará.
Uma das pesquisadoras de São Paulo é Maria Carolina de Oliveira Rodrigues, da Universidade de São Paulo (USP), com pesquisa sobre os efeitos de múltiplas infusões de células mesenquimais em pacientes com diabetes melitos tipo 1, realizada no Centro de Terapia Celular (CTC), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs), financiados pela FAPESP.
Também da USP, Ludhmila Abrahão Hajjar foi reconhecida por seu estudo prospectivo e randomizado com balão de contrapulsação intraórtico eletivo em pacientes de alto risco submetidos a cirurgia cardíaca, realizada no Instituto do Coração (Incor).
Foram premiadas ainda as cientistas Manuella Pinto Kaster e Patrícia de Souza Bocardo, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com projetos na área de Ciências Biomédicas; Letícia Faria Domingues Palhares, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), na área de Ciências Físicas; Ana Shirley Ferreira da Silva, da Universidade Federal do Ceará (UFC), com pesquisa em Ciências Matemáticas; e Carolina Horta Andrade, da Universidade Federal de Goiás (GO), em Ciências Químicas.
As pesquisadoras receberão, cada uma, bolsa-auxílio no valor equivalente, em reais, a US$ 20 mil. A entrega do prêmio ocorrerá em outubro, no Rio de Janeiro.
Na edição internacional do programa, lançado em 1998, cinco notáveis pesquisadoras (uma por continente) são laureadas anualmente. Cinco brasileiras já foram premiadas: a geneticista Mayana Zatz e a astrofísica Beatriz Barbuy, da USP; a física Belita Koiller e a biomédica Lucia Previato, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e a física Marcia Barbosa, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
Mais informações em loreal.abc.org.br.